Dicas para que o planejamento de longo prazo dê certo!

planejamento futuro

Eu já tinha percebido o motivo dos meus planos de curto, médio e longo prazo darem quase sempre certos.

Isso se deve a 2 coisas:

1.) acompanho os meus planejamentos com frequência

2.) faço pequenos ajustes ao longo do período

Lembro que uma amiga chegou a comentar que para ela seria impossível traçar metas tão longas, pois não conseguiria “engessar” o seu futuro como eu fazia.

Mas na verdade, é justamente o oposto. Eu não engesso, eu só traço alguns objetivos e vou fazendo pequenos ajustes ao longo do tempo.

Por exemplo, no meu planejamento de uns 5 anos atrás, constava que aos 33 anos eu iria casar com o meu namorado (que é o meu marido atual), depois compraríamos um carro aos 34 anos, e depois um apartamento financiado. Nesse meio tempo tentaríamos ter 3 filhos.

Mas conforme as coisas iam acontecendo, os ajustes também aconteciam. Hoje, a única coisa que foi concretizada desse planejamento foi o casamento. Porque para o restante (o carro, o apartamento, os filhos) a nossa opinião mudou. Resolvemos não ter carro, resolvemos vender o apartamento para viver de aluguel e decidimos que 2 filhas já estava bom.

E só para reafirmar: está tudo bem alterar o planejamento. Aliás, ajustar o planejamento a todo momento é o que faz tudo isso dar certo e faz com que eu não abandone meus objetivos. A nossa vida é repleta de mudanças, por isso mesmo, engessar os planos é um dos maiores motivos para que aconteça o abandono do planejamento.

Outro fator muito importante para um planejamento, é, após definir o que quer para o seu futuro, trazer isso para o hoje. Vou exemplificar. Se lá na frente eu quero me aposentar, viajar com o meu marido, curtir minha aposentadoria com ele, cuidar das minhas filhas, eu PRECISO cuidar do meu casamento hoje. Pois se eu não fizer isso, quando eu me aposentar, eu estarei sem o marido.

Se eu tenho vontade de participar da corrida de São Silvestre, eu PRECISO começar a treinar desde já, porque eu não consigo simplesmente sair correndo de um dia para outro, eu preciso treinar o meu corpo para isso.

Não basta ter um planejamento.

É necessário trazer o futuro para o presente. E como a gente faz isso? É só ler o post da semana passada. Aquela lista-mãe que provavelmente alguns dos leitores fizeram, será essencial para o início de todo o planejamento. Qual dos itens será levado à sério? Como ele será desmembrado em diversas pequenas tarefas?

Não mire só o futuro. Lembre-se de comemorar as pequenas conquistas diárias, vibrar por cada degrau que subir.

Não se esqueça que o futuro, nada mais é do que a somatória do que fazemos no presente.

~ Yuka ~

Anúncios

Como criar metas alcançáveis

checklist.jpg

Por sugestão de uma leitora (alô, Silvia!), resolvi adiantar o post de hoje.

Ela disse: “Traçar metas é um caminho para não esquecermos do que realmente importa, mas fala-se tanto de metas hoje em dia, mas ainda há quem não saiba criá-las, eu no caso! Uma boa dica para um próximo tema: metas: sua importância e como fazê-las.”

Eu me considero uma pessoa bastante organizada. Enquanto as pessoas dão importância ao “fazejamento”, ou seja, vai fazendo e planejando ao mesmo tempo, eu foco na fase do planejamento.

O problema do “fazejamento” é que a gente não consegue ter uma visão geral do que está por vir. As coisas vão acontecendo e a gente vai resolvendo os problemas conforme vão surgindo. É o típico apagar o incêndio, ao invés de preveni- lo. Gasta-se muito mais energia e tempo apagando o incêndio do que prevenindo. E é esse o ponto onde eu queria chegar.

Eu consigo fazer muitas coisas porque eu faço planejamento. É uma conexão direta. O planejamento traz clareza, foco e auxilia na definição de prioridades.

Tá. E você pode perguntar para mim: “E por onde começar?”

Sei que é difícil entender quando a gente fica no blá-blá-blá, então vou tentar explicar como as coisas funcionam para mim.

Tudo começa pela lista do “Um Dia, talvez” que eu deixo no meu celular. Essa lista é a matriz de tudo, é a lista-mãe. É de onde originam todas as outras listas. Eu coloco tudo, TUDO o que eu tenho vontade de fazer, de ler, de ouvir, de ir, etc. Não importa se é um restaurante que eu quero conhecer, um livro que eu quero ler, um sonho que um dia eu quero concretizar, lugares que quero visitar, coisas que quero comprar, hábitos que eu quero cultivar, etc. Não há regras. A única regra é: esvaziar a cabeça e sair listando tudo.

Um dia talvez

Esta lista é alimentada a todo momento. Se passo em frente de uma loja charmosa que quero voltar depois com meu marido, anoto nesta lista. Se surge a lembrança de que quando criança tinha vontade de correr em uma plantação de girassóis, anoto também nesta lista. Se tem um aplicativo de celular que quero testar, anoto na lista. Não há critério do que colocar, nem de duração, nem de orçamento, coisas fáceis, coisas difíceis de serem concretizadas, coisas caras ou baratas.

Todo dia eu olho para esta lista e vejo o que quero fazer. Alguns itens eu acabo apagando porque percebo que foi só uma empolgação do momento. Então “pesco” algumas tarefas (ou projetos, ou lugares, etc) que estou com mais vontade de fazer. Alguns dos itens são tarefas rápidas, como “comprar escorredor de pratos”. Outros, são projetos longos, como se “alimentar melhor”, “acessar menos notícias”.

E aqui vem o pulo do gato. Quando vou até a minha lista do Um dia, Talvez, eu não pego o item mais fácil de ser resolvido. Eu pego o item que estou com mais vontade de fazer, o que eu acho mais importante para o momento.

No ano passado, eu decidi que queria morar em uma casa com decoração escandinava. Não é uma coisa simples-pronto-já-fiz.

Então eu levei esse item “decoração escandinava” em um bloco de notas (no celular mesmo), e lá, tentei descrever TUDO o que eu achava que precisava ser feito para ter uma sala com decoração escandinava. Só que para eu poder descrever melhor, precisava pegar inspirações em algum lugar. Então a primeira tarefa foi:

  • pegar inspirações no Pinterest

Captura de Tela 2018-01-29 às 13.57.25.png

Captura de Tela 2018-01-29 às 13.59.10.png

Captura de Tela 2018-01-29 às 13.59.27.png

Depois de ter acesso a algumas fotos, surgiram outras demandas como:

  • almofadas
    • comprar tecido preto e rosa bebê na 25 de março
    • comprar enchimento de almofadas na 25 de março
    • separar zíper preto e rosa que tenho em casa
    • colocar tudo numa sacola e pedir para a mãe costurar
  • colocar 2 prateleiras brancas na lateral da mesa de jantar
    • medir o tamanho das prateleiras que preciso
      • 1 prateleira: medida 19 x 60cm para colocar fruteira
      • 1 prateleira: medida 10 x 60cm para colocar quadros
      • encomendar no marceneiro do bairro
      • instalar prateleira com furadeira
  • mesa de centro pequena
    • ver se o espaço que tenho na sala comporta uma mesa de centro pequena
    • pesquisar na internet se há modelos de centro de mesa de até 40cm de largura
  • caixas de brinquedos
    • medir o tamanho disponível embaixo do rack da televisão
    • 3 caixas organizadores de madeira pinus com rodízio – ver a medida
    • pedir orçamento ao marceneiro
  • quadros e pôsteres
    • escolher modelo de pôsteres
    • escolher tamanho dos pôsteres
    • solicitar impressão dos pôsteres na gráfica
    • comprar molduras para os pôsteres

Pronto, já tenho uma lista mastigada que vai me direcionar o que preciso fazer para ter uma decoração escandinava.

Reparou que nesta lista há dois itens (prateleira e caixa organizadora) para solicitar orçamento para o marceneiro? Aí é que entra o poder do planejamento. Por ter feito esse planejamento, não precisei ir 2 vezes ao marceneiro. Posso solicitar de uma vez só o orçamento e é assim que vou ganhando tempo.

Com a lista pronta, no início da semana (geralmente no domingo), pego os itens mais importantes e decido em qual data irei fazer o quê. Por exemplo: se sábado irei na 25 de março, segunda-feira posso escolher os modelos de pôsteres, na terça-feira posso pesquisar sobre os modelos da mesa de centro. Todas essas decisões são colocadas na agenda do celular e o mais importante, cumpridas. Por isso eu coloco em datas espaçadas, para justamente não atolar a agenda e me sentir sufocada.

Quando eu terminar de executar todas as tarefas, possivelmente a minha sala já estará com a decoração escandinava.

E aí eu volto para a minha lista ‘Um dia, Talvez’ para pegar mais uns 2 ou 3 itens para serem feitos a mesma coisa.

É desta forma que se tira sonhos do papel. São sonhos que se transformam em metas. Metas que se transformam em lista de tarefas. Tarefas que se feitas, transformam em sonho concretizado.

Espero ter ajudado,

~ Yuka ~

Utilizando bandejas para organizar a bagunça 

Não tem jeito…

Alguns lugares da minha casa continua sempre bagunçado. Eu me esforço para manter arrumado, mas depois de alguns dias volta tudo outra vez.

Pra sanar esse problema de uma vez por todas, eu comprei algumas bandejas em MDF para espalhar pelos cômodos da casa. São eles:

  • Para organizar a pia do banheiro
Pia do banheiro - ANTES
Pia do banheiro – ANTES
Pia do banheiro - DEPOIS
Pia do banheiro – DEPOIS
Pia do banheiro - DEPOIS
Pia do banheiro – DEPOIS
  • Para organizar a bagunça do “aparador
Aparador - ANTES
Aparador – ANTES
Aparador - DEPOIS
Aparador – DEPOIS
  • Para organizar os remédios de uso diário que ficam em cima da mesa
Remédios - ANTES
Remédios – ANTES
Remédios - DEPOIS
Remédios – DEPOIS
  • Para organizar a bagunça do criado-mudo
Criado-mudo - ANTES
Criado-mudo – ANTES
Criado-mudo - DEPOIS
Criado-mudo – DEPOIS

~ Yuka ~

Truques para aproveitar e organizar espaços da casa com um bebê pequeno

Oi pessoal!

Como passaram o Dia dos Pais? Meu marido passou o primeiro dia como pai, foi bem legal.

Vocês sabem que por enquanto ainda continuo no meu apartamento de 1 dormitório. O espaço está ficando pequeno a cada dia que passa, e já estou procurando um apartamento de 2 dormitórios em algumas imobiliárias, mas sem pressa. Se eu conseguir me mudar no ano que vem, estarei feliz.

Com a chegada de uma bebê, tive que pensar muito de que forma reorganizaria a nossa casa e como iria acomodar o berço, a banheira, o carrinho, as roupinhas, as fraldas entre todas as outras coisas que vem junto com um bebê.

Aqui em casa, tudo ainda está em constante mudança e adaptação, mas já dá para mostrar um pouco de que forma organizamos os espaços para que o lugar onde eu moro não parecesse um campo de guerra.

O mais importante é que quando era possível, pedia os presentes em cores neutras como bege, cinza claro e branco, para não causar poluição visual e não brigar com as cores da casa.

BANHEIRO

No banheiro, precisava colocar um item razoavelmente grande: a banheira.

Pedi uma banheira branca que tivesse as bordas retas porque eu tinha um objetivo: pendurar na parede…

bebe_banheiro1Fiz um furo na borda da banheira e coloquei um parafuso na parede dentro do box. Assim pude deixar a banheira pendurada sem ocupar o espaço do chão.

bebe_banheiro2SALA

Eu adoro assistir filme deitada, mas não tenho um sofá grande nem televisão no quarto. Por isso comprei um colchonete de casal e ‘escondi’ atrás da cortina (tudo bem que não está tão escondido, mas foi o lugar que achei, por enquanto).

bebe_colchão1Ficou fácil de usar, fácil de guardar. E guando a minha bebê aprender a rolar e engatinhar, posso deixar esse colchonete aberto com alguns brinquedos.

bebe_colchão2QUARTO

Como a nossa filha compartilha o quarto comigo e com o meu marido, escolhi tudo na cor branca: berço, colchão, lençóis. O que não era branco, simplesmente pintei de branco. As cores virão nos detalhes, como na manta, no cobertor, nos brinquedos.

bebe_berço1Também não coloquei itens muito decorativos ou volumosos no berço como tela mosquiteiro ou kit berço.

Como há um espaço considerável embaixo do berço, optei por aproveitar para colocar 3 caixas organizadoras para guardar as mantas e cobertores que ocupavam bastante volume na cômoda, e também alguns pacotes de fralda.

bebe_berço2Nas prateleiras acima do berço, comprei 4 caixas de madeira, só que a cor não combinou, já que era um tom de madeira. Não tive dúvidas e pintei de branco. Como a caixa é vazada, os objetos ficavam aparentes criando uma poluição visual. Costurei um saco usando um tecido bege para colocar dentro dessa caixa. Vocês podem acompanhar melhor neste post.

cesto organizado 4

cesto organizado 3As roupas da minha filha ficaram dentro do guarda-roupa, mais especificamente na parte onde pendurava as minhas calças. Comprei cabides para roupa infantil e pendurei as roupinhas, pois fica mais fácil visualizar os tamanhos e corro menos risco de perder alguma roupa, já que bebês crescem muito rápido.

Ah, como eu tenho uma máquina de lavar roupa que lava e seca, tenho quantidade reduzida de roupinhas.

Os inúmeros pacotes de fralda que ganhei, tiveram que ser separados por tamanhos, pois seria usado em períodos diferentes (como expliquei neste post).

As fraldas tamanho P estão embaixo do berço, dentro da caixa organizadora, pois assim fica fácil de pegar (o pacote aberto fica dentro da gaveta da cômoda).

bebe_berço3As fraldas tamanho M estão dentro do guarda-roupa. A previsão de uso é a partir dos 3 meses até completar 8 meses.

bebe_fraldaMAs fraldas tamanho G e GG foram ensacadas e guardadas em cima do guarda-roupa, já que a previsão de uso é a partir dos 9 meses. Quando terminar de usar as fraldas tamanho M que estão dentro do guarda-roupa, pretendo descer as fraldas G para este espaço.

bebe_fraldaGOutra coisa que estou fazendo é somente comprar as coisas que preciso no momento em que irei utilizar. Por exemplo, só vou comprar o cadeirão, os pratos e talheres infantis quando minha filha começar a incluir outros alimentos além de leite materno. Isso poupa bastante espaço em casa, pois não deixo objetos guardados por 6 meses, 1 ano sem usar.

Eu evito comprar por impulso para não bagunçar a casa, lembrando sempre da frase “menos é mais”.

~ Yuka ~

DIY Organizando o quarto utilizando cestos / caixas

Para organizar meu quarto, queria colocar algumas caixas em cima da prateleira para dar uma camuflada na bagunça. Para não errar na hora da compra, eu já tinha o tamanho da prateleira anotado no meu celular e sempre andava com uma trena na minha bolsa.

E passeando em uma loja, vi que estas caixas estilo “caixa de feira” estavam na promoção e resolvi comprar 4 destes cestos organizadores.

Só que ao colocar na prateleira, vi que não combinou nem um pouco, pois o meu quarto tem um tom de branco.

cesto organizado 1

Com uma tinta branca que eu já tinha em casa, resolvi pintar só a parte de fora das caixas (porque se eu pintasse a parte de dentro, teria que comprar mais tinta).

Achei que ficou melhor do que na cor original, só que ainda tinha um problema… Como o cesto é vazado, aparecia pelas fendas tudo o que eu colocava.

cesto organizado 2

Decidi costurar uns sacos para tentar esconder a “bagunça” dentro dos cestos. Como estes cestos não têm tampa, costurei um quadrado extra pra deixar forrado como se fosse uma tampa pra não pegar poeira.

cesto organizado 3

E aqui está como ficou o resultado final. Fiquei bem satisfeita 😀

Antes e depois:

cesto organizado 4

Guardo nestas caixas pacote de papel higiênico, lenço umedecido, pacote de algodão e outras miudezas.

~ Yuka ~

Como montar um atelier sem gastar muito

No post anterior, eu mostrei como é o meu pequeno atelier.

Nest post, resolvi explicar como montei um atelier sem gastar muito dinheiro.

A primeira coisa que fiz foi medir tudo com fita métrica todo o espaço disponível que eu tinha, como a distância entre as paredes, o tamanho do varão que eu deveria comprar, enfim, tudo mesmo.

Para facilitar essa etapa, eu gosto de usar o aplicativo de celular (gratuito) chamado Measures. Ele permite tirar fotos e acrescentar as medidas na própria foto, criando pastas. É ótimo.

Photo-Measures-App-150x150

PhotoMeasures-app

Depois esvaziei a escrivaninha, limpei as gavetas e o coloquei móvel na sala.

A partir disso fui recolocando os objetos do atelier pouco a pouco, e sempre tirava fotos para que eu pudesse analisar “com olhos de visitante” como estava ficando: se bagunçado ou colorido demais. Pode soar estranho, mas acredito que quando olho a decoração da minha casa através de uma lente de uma máquina fotográfica, consigo identificar mais fácil se a decoração está ficando boa ou se está muito bagunçada.

Depois fui comprar o varão na loja Daiso (paguei R$6,90), já sabendo o comprimento exato do varão que eu iria precisar.

atelie2

Eu já tinha os ganchos em S (como mostrei aqui), e trouxe-os para o atelier e pendurei as minhas tesouras. Bordei a frase “home is wherever i am with you” em um tecido, prendi no bastidor e pendurei como um quadro com um gancho autocolante.

atelie2_1

Outra coisa além da tesoura que eu resolvi expor foram as amostras de tecido. Eu tenho mania de toda vez que compro algum tecido, recortar uma amostra no tamanho 10x10cm e guardar para posterior consulta. Acho tão útil estas amostras, que separo por cores. Quando preciso repor algum tecido, levo a amostra para a loja, pois assim o vendedor consegue me atender rápido.

atelie2_2

As coisas miúdas que deixavam um ar de bagunça no atelier, foram “escondidas” nas caixinhas transparentes. Só que ao tirar foto desta etapa, percebi que ainda continuava com ar bagunçado. Por isso acrescentei um papel verde-água de scrapbook (para combinar com a capa da máquina de costura que eu tinha feito) na frente de cada uma das caixinhas para ocultar as miudezas e dar um aspecto mais clean.

atelie6

atelie3

Outra coisa que eu queria deixar exposto eram as linhas de costura. Mas todo organizador que eu encontrava para comprar ou eram muito grandes, ou muito pequenos. E eu queria um do tamanho exato para a parte superior da escrivaninha. P jeito foi fazer um utilizando uma placa de isopor, uma placa de plástico branco e palitos para fazer pipa que comprei em uma papelaria.

Captura de Tela 2015-02-03 às 17.48.08

Para dispor os tecidos para costura, dobrei todos os tecidos que eu tenho na mesma largura e altura, e guardei nas gavetas ordenando por gradação de cores.

atelie4

atelie7

atelie8

E foi isso. Gastei muito pouco pra montar um cantinho de costura pra mim.

~ Yuka ~

Como organizar um pequeno atelier (craft room)

Com a chegada da minha pequena bebê se aproximando, alguns móveis da casa tiveram que ser trocados de lugar para acomodar melhor a mais nova integrante da família.

Para colocar o berço no quarto de casal, o meu pequeno ateliê teve que ser transferido para a sala e compartilhar o espaço entre a TV, o sofá e a mesa de jantar. Tive que abrir mão também de uma cômoda onde guardava todos os meus tecidos, pois agora a cômoda será utilizada para guardar as roupas da minha filha.

A escrivaninha onde eu faço meus artesanatos e costuras, foi carinhosamente acomodada no cantinho da sala e apesar do atelier ter diminuído ainda mais de tamanho, o espaço ficou bem otimizado, organizado e funcional.

Para deixar o atelier organizado, gastei muito pouco. Basicamente comprei só o varão para pendurar amostras de tecidos e tesouras. O resto foi tudo aproveitado com as coisas que eu já tinha em casa.

Veja como ficou:

atelie1

atelie2

atelie3

atelie4

atelie5

atelie6

~ Yuka ~