19 pequenas atitudes para economizar na alimentação

supermercado

Se há alguns anos era possível fazer uma compra semanal por R$50,00, hoje esse valor não enche nem uma geladeira.

Para tentar manter a mesma quantidade e qualidade dos itens que compro, comecei a tomar algumas atitudes para não apertar tanto o orçamento:

1.) Eu basicamente faço 1 compra grande no início do mês. É quando reponho a minha despensa com farinha, açúcar, arroz, feijão… Para isso, eu comparo preços em 2 supermercados perto de casa. A diferença de preço às vezes é assustadora, já percebi que não há um padrão, às vezes o requeijão pode estar barato no mercado x, e na outra semana, o mesmo requeijão estar barato no mercado y. Como o supermercado é caminho para mim, eu entro, anoto os preços e já vou para o segundo. Compro tudo o que está mais barato, e na volta passo no outro supermercado para comprar o restante dos itens. Às vezes o produto pode custar até 100% mais caro como foi o caso da essência de baunilha. Em um custando R$4,50 e no outro inacreditáveis R$8,50.

2.) Para as compras semanais (verduras e frutas), eu prefiro ir na feira. Além de achar os produtos de melhor qualidade, consigo preço melhor.

3.) Antes de ir no supermercado ou feira, gosto de olhar o que tem na geladeira para não comprar coisas duplicadas.

4.) Compro legumes e frutas da estação. Além de estarem mais saborosas, o preço é mais atrativo.

5.) Meu marido recebe pelo e-mails as promoções da semana dos supermercados próximo de casa. Sempre conseguimos promoções que valem muito a pena.

6.) Quando há aquelas promoções imperdíveis, fazemos estoque de produtos como leite em caixa, sabonete, papel higiênico.

7.) Alguns supermercados mandam cupons pelo correio. Quando recebo, tomo cuidado para não passar da validade da promoção.

8.) Eu separo os lugares onde faço as compras: frutas e verduras na feira, carnes no açougue e o restante no supermercado.

9.) Compro somente o necessário para o consumo da semana para evitar desperdício.

10.) Tento jogar o mínimo de comida no lixo. Misturo talos de espinafre na massa da panqueca, sementes de tomate no molho de tomate, sementes de abóbora viram petiscos assados, uso quase tudo com casca (cenoura, batata, etc).

11.) Não ter preconceito das marcas próprias do supermercado. Perto de casa tem um supermercado Dia que eu vou com frequência. Sabia que o leite de coco do supermercado Dia é produzido pela Sococo? Que o “nutella” do Dia é produzido pela mesma empresa italiana Nutkao que produz para a marca francesa Casino? Que o chocolate amargo do Dia é importado da França? Que o chocolate em pó do Dia é melhor que o chocolate “do padre” da Nestlé (e o preço é 55% menor)? Pois é.

Chocolate em pó solúvel: Dia (R$5,00) vs Nestlé (R$13,80)

chocolate em pó

Leite de coco: Dia (R$3,00) vs Sococo (R$4,80)

leite de coco sococo

leite de coco Dia

Chocolate em barra: Dia (R$5,00) vs Casino (R$9,80)

chocolate Dia

chocolate Casino

Creme de avelã (nutella): Dia (R$7,00) vs Casino (R$16,00)

nutella casino

nutella dia

12.) Logo que saio do mercado, já confiro os preços na nota fiscal. Já peguei muitos preços principalmente da promoção, com preço sem desconto. Peço para estornar meu dinheiro. Por incrível que pareça, isso é muito-muito-muito recorrente. Outro dia comprei um iogurte por R$3,99, mas passou por R$6,50 no caixa, mais de 60% de diferença no preço.

13.) O freezer é o meu amigo (e o forno também rs). Se a fruta está amadurecendo rápido, faço um sorbet. Se percebo que não dou conta de comer todo o queijo e presunto, congelo para depois usar em algum outro prato. Eu ralo queijo e congelo. Aproveito para congelar o soro do iogurte para hidratar o feijão, guardo caldo de frango, peixe e carne para fazer ensopados. Quando compro temperos frescos como salsinha, cebolinha, alecrim e tomilho, eu já lavo, seco, pico e congelo. Assim não desperdiço nada.

14.) Reaproveito a receita de um prato para fazer novos pratos. Almôndegas vira recheio de panqueca. Molho branco vira recheio de batata assada.

15.) Levo marmita para o trabalho ao invés de comer na rua.

16.) A cada dia, me esforço para aprender a cozinhar mais… eu faço iogurte grego, minhas queridas granolas, meu amado pão, pretzels, os deliciosos cookies, esfiha, batata rosti, etc.

17.) Se faço pão, aproveito para usar todo o fermento biológico, e asso 2 pães de uma vez. Além de evitar que o fermento estrague, economizo no gás, já que asso os 2 de uma vez.

18.) Analiso o preço dos pacotes dos produtos usando como referências as gramas. Por exemplo: eu comprava caixa de chá preto de 25g que contém 15 saquinhos por R$4,50. Mas passei a comprar um pacote de chá preto de 300g que não vem em saquinhos por  R$5,50. Ou seja, antes eu pagava R$4,50 por 25g, hoje pago R$0,45.

19.) No fim do mês, tento cozinhar usando tudo o que tiver na geladeira, usando a criatividade. É uma forma de limpar a despensa e a geladeira.

Essas foram as dicas que eu uso aqui em casa. Espero que tenham gostado.

~ Yuka ~

Anúncios

É possível antecipar a aposentadoria?

aposentadoria

Com a nova reforma da previdência chegando, a possibilidade de pessoas como eu, na faixa dos 30 anos, se aposentar aos 65, 70, 75 anos será inevitável.

Eu não me oponho a trabalhar, mas eu não quero trabalhar até os 75 anos por obrigação, principalmente porque não sei como estarei, se terei forças físicas e mentais para aguentar uma jornada de 8 horas todos os dias.

Eu quero sim trabalhar até ficar velhinha se eu estiver bem de saúde, saudável, disponível. Talvez possa diminuir a minha jornada de trabalho, ou até quem sabe, ter a possibilidade de parar de trabalhar para ficar mais perto dos netos, mas tudo é muito hipotético ainda.

Durante a minha licença-maternidade, em 2015, minha ficha caiu de que sim, era possível aposentar antes dos 60 anos.

E com essa ficha nas mãos, eu e meu marido traçamos um objetivo de vida: nos aposentar daqui a 15 anos. Ou seja, me planejo aposentar aos 51 anos e meu marido aos 53.

Não queremos nos aposentar para parar de trabalhar e ficar sem fazer nada. Queremos nos aposentar para dedicar naquilo que gostamos, no que acreditamos, queremos nos descobrir, nos redescobrir.

Você pode até pensar “ué, por que não faz hoje o que gosta, ao invés de esperar a aposentadoria?”

É que o que nós queremos fazer não dá dinheiro, e agora com a minha família crescendo, tenho medo de chutar o pau da barraca, largar o meu emprego estável para depois não conseguir pagar as contas no final do mês, principalmente porque o emprego do meu marido é instável demais.

Por isso resolvi dar um passo de cada vez. A vida é muito longa e na minha cabeça, dará para fazer tudo no tempo certo. 

Vivemos o Hoje com intensidade, mas lembrando que o Amanhã um dia chegará.

Para que este plano dê certo, gosto sempre de ilustrar com este exemplo: um sonho, um futuro, uma meta é como se fosse uma ilha paradisíaca pra mim. Só que eu estou do lado de cá da ilha. Para atravessar, eu preciso construir uma ponte. E aí entra a pergunta que faço sempre: “o que estou fazendo HOJE para construir esta ponte que vai possibilitar a minha travessia AMANHÃ?”


Eu já comecei a construir e atravessar uma parte desta ponte. Para quem quer colocar os planos em ação, no início deste ano eu escrevi um post “a diferença entre Sonho e Meta” que vale a pena ser lido.

Para os descrentes, nos vemos daqui a 15 anos, do outro lado da ilha, quando eu completar 51 anos. 😉

Uma longa viagem começa com um único passo – Lao Tzu

~ Yuka ~

Como você faz para seu dinheiro render?

esticar-dinheiro

Esses dias fui passear no Shopping Cidade São Paulo, na Avenida Paulista. Não conhecia, apesar de ter sido inaugurado em 2015, nunca tinha tido curiosidade de conhecer. Só que tive um curso quase ao lado desse shopping, e como uma espécie de curiosidade, resolvi entrar.

Gente, o que é aquilo? Eu me assustei demais com os preços.

Tudo bem, sei que eu não sou rica, mas também não acho que recebo um salário ruim para ter me assustado tanto com os preços. Talvez porque eu perdi o costume de passear em shoppings, então pode ser que eu esteja desatualizada com os preços “normais” de shopping… mas pensem comigo, é normal pagar R$480,00 por um vestido de verão?

Sandalinhas rasteiras a R$280,00?

Entrei numa loja de brinquedos e a maioria estava tudo na faixa dos 99. Ou seja, R$299,00; R$399,00; R$499,00. Quando vi um brinquedo por R$599,00 eu resolvi ir embora para casa, porque foi demais pra mim.

E entendi porque meu salário rende tanto. Porque eu sei que o mesmo dinheiro pode ser utilizado de outras formas. Sei que há produtos de qualidade superior que o preço acompanha a qualidade. Mas também há muitos casos em que o preço não acompanha a qualidade, onde somente a marca é famosa e traz status.

Se eu consigo achar vestidos bonitos por R$80,00, porque eu pagaria um que custa R$480,00 e que cumpre exatamente a mesma função?

Antes eu achava normal pagar R$300,00 (o casal) em um restaurante, até eu pagar este valor em um restaurante bem famoso que possui menu único (e cá entre nós, nem achei tãaaao gostoso assim), e vi o absurdo que eu tinha feito com o meu suado dinheiro.

E desde então, eu e meu marido começamos a repensar de que forma temos gasto o nosso dinheiro.

Ao invés de pagar R$80,00 por uma pizza delivery, pagamos R$40,00 por uma igualmente boa (só tivemos que pesquisar por mais tempo).

Ao invés de comer em food truck’s, comer em pé e pagar R$120,00, começamos a procurar lugares bons e baratos para comer. Outro dia encontramos uma lanchonete que não dávamos nada, pedimos 4 esfihas deliciosas, 2 jarras de suco de melancia perfeitas e pagamos R$27,00.

Até para comprar verduras, frutas e ovos começamos a ir numa outra feira. Ao invés de pagar R$9,80 pela dúzia do ovo, passei a pagar R$3,80.

Outro dia, eu até pensei em levar minha filha e meu sobrinho no Aquário de São Paulo. Mas quando descobri o preço, eu decidi não ir. Custa R$80,00 adulto e R$50,00 infantil (de 3 a 12 anos) e eu gastaria R$210,00 de entrada (2 adultos, 1 criança e 1 bebê não pagante), fora o metrô e o táxi. Definitivamente não vale a pena para mim. Só que eu não desisti de ir no aquário. Minha família é de Santos, e também tem um aquário lá e o ingresso custa R$5,00 adulto e entrada gratuita para menores de 12 anos e maiores de 60 anos. Para fazer praticamente o mesmo tipo de passeio, ao invés de pagar R$210,00, eu pagaria R$10,00. Ah, tem um aquário bem pequeno também no Parque da Água Branca (São Paulo). Para uma criança que não tem nem 2 anos, e não consegue ficar por muito tempo concentrada, achei ótimo pagar R$3,00.

É disso que estou falando. Pra mim e para o meu marido, procurar estes tipos de locais virou a nossa diversão.

E assim eu vejo meu salário se esticando e sobrando cada vez mais.

Eu chamo isso de gastar bem o dinheiro. É saber valorizar o TEMPO que eu dei para a minha empresa em troca de um salário.

~ Yuka ~

Hotel Day Use em São Paulo

captura-de-tela-2016-11-30-as-18-19-13

Desde que minha filha completou 1 ano, eu tenho tido muita vontade de viajar, mas logo descobri estar grávida do segundo filho (aliás, é meninaaaa!!!!) e optei por não sair de São Paulo até a data do parto pelo medo da Zika Vírus.

Ao mesmo tempo, sentia uma necessidade de viajar para descansar, antes da minha segunda filha nascer.

Como surgiu um dia de folga no trabalho, resolvemos experimentar o Day Use de um hotel.

Basicamente, você pode usar toda a infraestrutura disponível do hotel, como piscina, sauna, quadras de esportes, academia por um preço mais em conta. Há opções, inclusive, de hospedagem.

Quando liguei no hotel para perguntar como funcionava este serviço, a atendente me falou para entrar no site do Hotel Quando, pois nesse site, seria possível fazer a reserva do quarto por horas (3 horas, 6 horas, 9 horas, 12 horas), ficando mais barato para a nossa necessidade.

Eu reservei das 9h às 15h, num total de 6 horas.

Chegamos no hotel às 9h, e aproveitamos para tomar um belo de um café da manhã no hotel, descansamos bastante, esticamos nossas pernas na cobertura onde havia piscina, e almoçamos bem (café-da-manhã e almoço não estavam inclusos). O tempo passou bem rápido, mas foi muito gostoso. Meu marido que no início estava todo receoso, no final adorou. Até falou que deveríamos ir pelo menos mais duas vezes antes da bebê nascer.

Nós tínhamos a opção de descansar em casa, claro. Mas se ficássemos em casa, acabaríamos lavando roupa, limpando a casa, navegar na internet e perderíamos a oportunidade de descansar pra valer.

Então para vocês que querem descansar, mas não dá tempo para sair da cidade, há uma opção: utilizar os serviços de um Hotel Day Use.

~ Yuka ~

Como criar filhos sem estourar o orçamento?

bebe%cc%82-dinheiro

Todo ano, algumas revistas da área de finanças publicam na capa: “Quanto custa um filho?”, “Um filho pode custar mais de 2 milhões de reais” etc. E daí você vai pensando que com o seu salário será impossível criar um filho, imagina dois filhos? Três filhos então é sinal de insanidade mental, de não dar oportunidades melhores para o filho, enfim…

Quando penso em filhos, eu não penso no dinheiro. Eu não decidi a quantidade de filhos que quero baseado na minha conta bancária. Decidi a quantidade pelo meu coração. E foi a partir disso que a conta (bancária) foi fechando. Se pensasse somente no dinheiro, não teria tido nenhum. Para mim, filho não entra na matemática financeira, porque não é assim que funciona.

Não dá para falar que um filho irá custar 1 milhão, 2 milhões, 10 milhões. Ou que não vai custar nada. O fato dele estar vivo irá custar dinheiro, claro. Mas já parou para pensar que se ficássemos fazendo esse tipo de conta, não faríamos nada? Porque o cafezinho que tomamos na lanchonete pode custar muito em 50 anos, o ônibus que pegamos todo dia vai custar muito ao longo dos anos, aquele sorvete que tomamos com muito gosto em dias de calor também não vai sair tão barato se somarmos os gastos até o dia de nossa morte.

Pra mim a questão toda gira em torno de que tipo de valor você quer passar para o seu filho.

Dá para gastar o suficiente na criação dos seus filhos, como dá para exagerar nos gastos.

Dá para preparar um enxoval simples, ou montar o enxoval em Miami. Dá para ter filhos sim, sem carro, apesar de algumas pessoas acharem impossível. Dá para fazer festinha de aniversário em casa, ou em buffet para 100 pessoas. Dá para fazer viagens para casa da vó, ou para a Disney. Dá para reaproveitar as roupas do irmão mais velho, do primo mais velho, do filho da amiga, do filho da vizinha, como dá para andar sempre estilosa, acompanhando as últimas tendências da moda. Dá para brincar de graça em parques, ruas, pátios, bibliotecas públicas, centros culturais, como tem lugares que precisam ser pagos para brincar. Dá para brincar de aviãozinho com pedaço de papel, uma casa feita com lençóis, uma tábua improvisada que vira escorregador como também dá para ter brinquedos caríssimos e automatizados.

Então, apesar do dinheiro fazer parte da realidade, não coloque uma pedra na sua frente imaginando que só poderá ter 1 filho (se for o caso de querer ter mais) porque o dinheiro não permite. Quem sabe pensando um pouco mais, não dá para aumentar a família?

~ Yuka ~

 

 

 

 

Gastos dos 7 meses aos 12 meses

Dando continuidade ao post “O que custa mais caro: ter um filho ou a vaidade dos pais?”, quero compartilhar com vocês como foram os gastos da minha filha, dos 7 meses ao 12 meses.

  • FRALDAS: Continuei usando as fraldas que ganhei no chá-de-bebê, por isso não tive gastos com fraldas por enquanto.
  • CADEIRINHA PORTÁTIL PARA ALIMENTAÇÃO: comprei o modelo portátil da Fisher-Price, pois minha casa é pequena. Muito bom, compacta, dá para instalar em vários tipos de cadeira. Possibilita tirar a bandeja, regular a inclinação e altura. Outro dia recebi a visita de uma criança de 3 anos que usou o cadeirão tranquilamente para almoçarmos todos juntos na mesa. Uma nova custa R$600,00. Eu comprei uma usada em ótimo estado por R$130,00.

Screen shot 2016-06-03 at 10.54.42

  • ITENS DE SEGURANÇA PARA CASA: protetor de tomada, protetor de quina para os móveis e trava para gavetas e vaso sanitário. A minha filha é muito curiosa, e sem esses itens, achei que seria arriscado.
  • REMÉDIOS: como todo bebê que começa a frequentar a creche, ela já teve gripe, virose, diarréia, conjuntivite. Então comprei remédios para ela.
  • ROUPAS: ainda estou usando as roupas que ela ganhou.
  • BRINQUEDOS: outro item que ainda não estou tendo gastos. Ela brinca com uma colher, panela, potes, escova de dente, lata de leite vazia, caixa de papelão, tudo vira brinquedo para ela. O que andei comprando foram livros infantis, pois vejo que ela adora livros.
  • ARTIGOS DE HIGIENE: como limpo o bumbum dela com algodão molhado, compro rolos de algodão para depois cortar, sabonete e xampu, dedeira para limpar os dentinhos.
  • MAMADEIRA, COPO DE TREINAMENTO E POTE TÉRMICO:
  • SAPATO
  • CADEIRA PARA CARRO: a partir de 12 meses, parece que aposentamos o bebê conforto para usar outro modelo de cadeira. Eu ganhei um usado da minha prima, para instalar no carro da minha mãe.

Como vê, ainda não tive tantos gastos com a minha filha.

~ Yuka ~

20 coisas onde parei de gastar dinheiro

dinheiro-aviaozinho

Outro dia estava pensando em quantas coisas deixei de comprar porque não vejo mais necessidade… E essa lista têm aumentado com o tempo. Vejam só:

1.) TV a cabo:

Gastava um bom dinheiro mensalmente na TV a cabo até que um dia caiu a ficha de que eu não assistia muita televisão. Sentava no sofá e nunca conseguia assistir nenhum programa ou filme do começo, e ficava trocando de canal em canal para tentar assistir alguma coisa do início.

2.) Assinatura de revistas:

Desde 2004, não assino mais nenhuma revista. Acesso jornais e revistas pela internet.

3.) Taxa de administração de banco:

Eles não cobram muito, é verdade. Mas se somar a taxa de administração de todos os meses do ano, mais a anuidade do cartão de crédito, dá uma soma considerável por ano. Conversei com o gerente e hoje estou isenta destas taxas.

4.) Anuidade do cartão de crédito:

Converse com o seu gerente. Também estou isenta desta anuidade.

5.) Garantia estendida:

Sempre achei que se é para um produto quebrar, ele vai quebrar antes do primeiro ano. Nunca paguei garantia estendida, pois pra mim é gastar dinheiro desnecessariamente.

6.) Garrafa de água:

Todo lugar que eu vou, levo sempre a minha garrafa de água.

7.) Jóias:

Nem sei se pode ser considerado como jóia, mas a única jóia que tenho é a aliança que meu marido me deu de casamento e um anel que minha mãe me deu de presente. Não compro jóias, é um simbolismo que não ligo.

8.) Roupa da moda:

Não acompanho a moda, tento sempre comprar roupas que tenham bom caimento para o meu corpo, independentemente da moda, como uma calça alfaiataria, uma blusa com corte sequinho, etc.

9.) Manicure:

Fui na manicure 1 vez e achei que eu faço melhor que as moças (olha a humildade da pessoa rsrs). Depois disso, eu mesma passei a fazer as unhas.

10.) Pequenos ajustes em roupas:

Vocês já estão carecas de saber que eu tenho uma máquina de costura. Não sei costurar roupas (ainda), mas pequenos ajustes eu aprendi a fazer assistindo o YouTube.

11.) Bilhete de loteria:

Eu compro os bilhetes de loteria quando estes estão muito acumulados, isso dá umas 3 vezes por ano. Não compro semanalmente, prefiro guardar o meu dinheiro.

12.) Locadora de filmes:

Como eu assino a Netflix, não alugo filmes em locadoras.

13.) Black Fraude:

Olha, até tentei acompanhar o preço de um novo notebook, pois o que eu tenho está bem velhinho, mas tenho que concordar, é uma fraude mesmo. Os preços não tiveram desconto significativo.

14.) Presentes desnecessários:

Antes eu comprava presente de aniversário para as pessoas mais próximas, mas com o tempo fui percebendo que eu dava os presentes, mas nunca ganhava presentes. Hoje, só dou presentes para a minha mãe e para a minha sogra.

15.) Lembrança de viagens:

Outra coisa que parei de comprar com o tempo. Eu tenho o costume de viajar todo ano, e no início, comprava lembrancinha para todo mundo. E essas lembrancinhas davam uma soma considerável na viagem. Parei, né?

16.) Absorvente íntimo:

Já contei aqui que eu morro de amores pelo meu coletor menstrual.

17.) Sabão em pedra e detergente:

Eu aprendi a reciclar o óleo usado para produzir sabão em pedra. Antes tinha bastante desconfiança em relação a sabão caseiro, mas depois do “teste de qualidade” do meu marido, passamos a usar sabão em pedra feito em casa. Utilizo esse mesmo sabão para lavar as louças. Faz bastante espuma e os copos e talheres ficam brilhando.

18.) Combo de produtos:

• Internet + TV a cabo + telefone = $$$$$

• Plano de celular + WhatsApp + mensagem ilimitada + bônus de R$10,00 para falar com qualquer operadora = $$$$$

Será que precisa de tudo isso mesmo? Há 2 anos, quase fiquei maluca falando no telefone para a atendente da NET porque eu queria cancelar a TV a cabo, mesmo ela explicando que valia a pena o combo, que ficaria “apenas” R$30,00 a mais. Ué, não preciso e ponto final.

19.) Alguns temperos como salsinha, cebolinha, alecrim, tomilho etc:

Como tenho a minha hortinha, quase não compro mais temperos.

20.) Canetas, lápis e caderno de anotações:

Parece mentira, mas não lembro a última vez que comprei canetas, lápis e caderno de anotações para mim. Sempre ganho em reuniões, eventos e congressos que participo.

~ Yuka ~

 

8 dicas para economizar no supermercado

supermercado

Já foi a época em que R$100,00 enchia um carrinho de supermercado.

E para driblar os altos preços, vou compartilhar aqui as dicas que funcionaram comigo.

1. ) COMPARE PREÇOS

Essa dica é das antigas, mas vejo que realmente vale a pena. Eu achava meio complicado comparar preços porque eu sempre comprava coisas que não estava precisando. Por isso agora eu sempre levo uma lista dos itens que preciso comprar e sigo fielmente a lista. No início do mês, fiz uma compra para abastecer a minha despensa e a diferença de preço no final desta compra foi surpreendente, nada menos que R$55,00 de economia em uma única compra. Imagina como vou economizar se eu fizer o mês todo? E comecei a lembrar o que um professor havia dito para mim há alguns anos. “O supermercado quando faz promoção de pão, eleva o preço da manteiga.” E essa relação se estende em outros produtos: promoção no molho, aumenta o macarrão; promoção no carvão, eleva o preço da carne… Por isso a necessidade de passar em 2 mercados para conseguir comprar o “pão” mais barato em um mercado e a “manteiga” mais barata no outro mercado.

Na prática, eu faço assim:

Quando monto a lista de compras, já monto por ordem dos corredores me baseando no primeiro mercado (já que cada mercado tem a sua forma de colocar os produtos nas prateleiras): primeiro o corredor das verduras e frutas, depois os laticínios, itens de mercearia, produtos de limpeza, etc. Assim fica fácil anotar os preços.

Escolho 2 supermercados mais próximos da minha casa e que fica na mesma direção. Passo primeiro no mais próximo, anoto rapidamente todos os preços e já vou para o outro mercado fazer as compras. Compro somente o que está mais barato, e se tiver tempo, volto no primeiro mercado para comprar os itens restantes.

Olha como vale a pena comparar:

Se eu tivesse feito a compra somente no supermercado que sempre ia, eu teria gasto os seguintes valores (são valores reais, tá?):

  • Semana 1: R$162,42
  • Semana 2: R$41,25
  • Semana 3: R$117,03
  • Semana 4: R$299,99

Comparando os preços do jeito que eu expliquei acima, os valores abaixaram:

  • Semana 1: R$125,92
  • Semana 2: R$36,75
  • Semana 3: R$107,93
  • Semana 4: R$232,92

Ou seja, eu gastaria R$620,69 ao invés de R$503,52. Uma economia de R$117,17 em um mês. Nada mal, heim?

2. ) NÃO COMPRE CARNES NO SUPERMERCADO

Não sei se vocês compartilham da mesma opinião que eu, mas tenho achado as carnes no supermercado um absurdo de caro. Agora compro no açougue ou em lojas especializadas em carnes (como a Swift) e já compro carne para 2 meses. Percebi que sai bem mais barato do que comprar em bandejinhas.

3.) CULTIVE ALGUNS TEMPEROS

Eu tenho uma hortinha onde cultivo alguns temperos. Até tentei plantar alface, rúcula, mas dava muito trabalho. Agora tenho somente temperos que uso com bastante frequência: tomilho, alecrim, manjericão, cebolinha e salsinha. A parte boa é que desta forma, os temperos nunca murcham, já que colho no momento da preparação da comida.

4.) NÃO JOGUE COMIDA NO LIXO

A minha mãe outro dia falou que ela não produz lixo orgânico. Demos até risada desse comentário, mas a verdade é que ela consome quase tudo com a casca. E o que não come com a casca, guarda no congelador para fazer sopas, caldos, etc. Eu sempre me pergunto, qual a diferença de jogar comida no lixo e rasgar dinheiro? Nenhum, né? Para isso, o ideal é ir treinando para transformar os pratos em outros pratos, dando sempre a impressão de que não está comendo a comida de ontem. Por exemplo: a almôndega de ontem, vira macarrão com carne moída; a sobra de arroz de ontem, vira bolinho de arroz; etc.

5.) FAÇA ESTOQUES DE ALGUNS PRODUTOS

Apesar de muita gente não recomendar fazer estoques por acreditar que é dinheiro parado, eu discordo em partes. Faço estoque de itens que sempre consumo quando está na promoção. Por exemplo, sempre compro leite em torno de R$2,80. Outro dia o mesmo leite estava na promoção por R$1,70. Comprei várias caixas.

6.) NÃO COMPRAR PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS

Aprenda a cozinhar coisas gostosas. Ao invés de comprar um bolo pronto, faço um bolo. Ao invés de comprar uma torta, faço uma torta. Além de ser mais saudável, é muito mais gostoso. Para facilitar, congelo o que for possível, como molho de tomate, tortas, etc. Acho interessante “colecionar” receitas fáceis e gostosas.

7.) EXPERIMENTAR OUTRAS MARCAS

Eu gosto de experimentar marcas novas, pois se não gostar, é só voltar para a marca que gosto. E muitas vezes tenho surpresas agradáveis. Em casa a gente faz assim, como meu marido tem o paladar mais aguçado, eu vou comprando algumas marcas para ir experimentando e quando ele não gosta do sabor de alguma, ele já me avisa para que eu não compre mais daquela marca. Muitas vezes, o produto mais caro não é sinônimo do mais gostoso.

8.) QUARTA-FEIRA É DIA DE FEIRA

Alguns mercados têm os dias da semana de promoção. Acompanhe e tente conciliar a agenda.

~ Yuka ~

14 dicas para economizar dinheiro

cofreO salário diminuiu ou as coisas estão mais caras?

Hoje vou falar como eu estou conseguindo guardar um pouco mais de dinheiro por mês.

1.) Economize nas coisas grandes:

Leio em várias revistas de que é muito importante contar as moedinhas, economizar no cafézinho de todo dia. Só que o esforço era tão grande para pouco retorno. Eu acho muito mais fácil economizar nas coisas grandes. Por exemplo, a economia será muito maior se a família mudar de bairro para abaixar o aluguel e condomínio, ou trocar o plano de celular pós-pago para um pré-pago, ou quando houver reajuste de salário, poupar a diferença recebida.

2.) Abra mão do carro. Se precisar, ande de táxi:

Para quem tem carro, essa é bem difícil. Sei disso porque já tive carro. Mas acho que é um dos itens que mais dá para economizar (leia o post – compensa ter um carro ou andar de transporte público?). Eu separo todo mês um dinheirinho para mim e para o meu marido andarmos de táxi, mas nunca precisamos usar a cota toda.

3.) Converse com seu gerente, tire as taxas de administração, a anuidade do cartão de crédito, taxa de carregamento:

Os bancos são campeões em cobrar taxas… Um real aqui, dois reais ali, e no final do ano, acabam por descontar um valor considerável da nossa conta. Converse com seu gerente e negocie.

4.) Tenha um celular pré-pago:

Eu já tive um celular pós-pago, e foi um horror para o meu bolso. Controlava os minutos para não ultrapassar a cota do plano, mas todos os meses a operadora de celular cobrava valores que eu não sabia onde tinha gastado. Depois que troquei para pré-pago, tudo ficou bem.

5.) Avalie se compensa ter TV a cabo:

Outro item que eu já tive em casa, mas percebi que o valor cobrado era alto demais para o pouco tempo que estava assistindo. Hoje, assinamos a Netflix.

6.) Evite terceirizar serviços:

Limpe a casa, faça as suas próprias unhas, hidrate seus cabelos, aprenda a consertar chuveiro… Hoje em dia, há vários vídeos no Youtube que ensinam como fazer as coisas. Isso inclui também sobre colocar a responsabilidade de gerenciar o seu dinheiro para o gerente do banco.

7.) Leve marmita ao trabalho:

Além de ser muito mais saudável (menos gordura e sódio), é uma ótima forma de economizar dinheiro. Ao invés de almoçar todos os dias em restaurantes, reserve essas saídas para ocasiões especiais.

8.) Não subestime os programas de fidelidade:

Escrevi um post sobre isso aqui.

9.) Não desperdice comida:

Esse é um item que ainda é difícil pra mim. Mas pense bem, qual a diferença de jogar comida no lixo e rasgar dinheiro?

10.) Antes de comprar, compare o preço pela internet, acompanhe oscilações dos preços:

Geralmente eu faço assim: quando eu preciso comprar alguma coisa, gosto de ir até a alguma loja física para olhar o produto pessoalmente. Olho o design, levo uma fita métrica para medir certinho o tamanho, vejo o funcionamento, converso com o vendedor e decido qual modelo quero levar. Decidido o modelo, começo a acompanhar os preços nas lojas virtuais diariamente por um período de 2 a 3 semanas, e vou anotando todas as oscilações de preço em uma folha de papel. Vocês podem até achar um exagero o que eu faço, mas se vocês soubessem como o preço sobe e desce, fariam o mesmo. Acompanhando o preço por esse período, dá para começar a perceber que tem sempre um limite de preço que o produto chega. E foi assim que eu economizei R$580,00 ao comprar a minha máquina de lavar roupa.

11.) Não tenha preconceitos de marcas que você não conhece. Experimente.

Quando fiz o meu chá-de-bebê na empresa onde trabalho, ganhei muitas fraldas, de marcas variadas. Algumas são melhores que as outras, por isso as melhores uso para sair e também para dormir, pois segura melhor o xixi, enquanto as outras que não acho tão boas, uso quando minha filha está em casa, já que posso trocar a fralda com maior frequência.

12.) Compare preços no supermercado

Sério, está valendo muito a pena fazer isso. Ontem fui no mercado e comparei o preço de 2 supermercados mais próximos de casa, olha só a diferença nos preços:

  • Cebola: R$4,99 e R$2,99 (diferença de R$2,00)
  • Limão: R$8,99 e R$3,49 (diferença de R$5,50)
  • Essência de baunilha: R$7,99 e R$5,69 (diferença de R$2,30)
  • Iogurte: R$2,92 e R$5,29 (diferença de R$2,37)
  • Creme de cebola: R$4,00 e R$5,49 (diferença de R$1,49)
  • Sabão de côco: R$4,40 e R$6,49 (diferença de R$2,09)

Deu pra ver a roubada de não comparar preços, né? Em cada compra, eu estou economizando em torno de R$30,00. E meu único trabalho é andar 1 quadra a mais.

13.) Não compare sua vida com a dos outros:

Não compare a sua vida com a dos outros, pois isso é bem complicado. Sempre existirá pessoas com mais posses que você. Ao comparar, você sempre irá querer o que o outro tem e isso não tem fim. Aprenda a ter gratidão das coisas que você já conquistou.

14.) Tenha apenas o suficiente:

Precisamos aprender e a entender o nosso limite do que é suficiente para nós, pois o que é suficiente para você pode não ser suficiente para mim. Pra mim é suficiente ter poucos esmaltes, mas para quem adora fazer as unhas, pode ser que 5 esmaltes seja pouco demais. Avalie o que é suficiente para você: bolsas, sapatos, roupas, eletrônicos, acessórios, cintos, itens de decoração, itens de cozinha, etc.

~ Yuka ~

Faça bom uso dos programas de fidelidade

fidelidade

Eu não gosto de participar de muitos programas de fidelidade, simplesmente porque não consigo acumular muitos pontos.

Se não tem gastos, não há pontos para acumular, certo?

Por causa desse pequeno-grande detalhe, eu tento concentrar em alguns programas de fidelidade para não dispersar os pontos:

– Programa Mais do Supermercado Pão de Açúcar: é o mercado mais próximo de casa. A cada R$1,00 gasto, acumulo 1 ponto.

– Programa Nota Fiscal Paulista: o resgate acontece 2 vezes por ano.

– Programa Sempre Presente (pontos do cartão de crédito do Itaú): eu e o meu marido compartilhamos uma conta conjunta para concentrar nossas compras em um único cartão de crédito. O resgate varia muito de ano para ano, mas como eu já tinha pontos acumulados dos anos anteriores, transferi meus pontos para o Multiplus e troquei por um vale da Tok&Stok. Eu estava juntando os pontos para fazer uma viagem, até que descobri que a minha rotina de gastos é baixa para conseguir fazer uma viagem através de milhas, sem que os pontos expirassem antes. Sabendo disso, comecei a trocar os pontos em vale-compras.

– Multiplus: além de transformar os pontos do cartão de crédito no Multiplus, acumulo pontos comprando em farmácias conveniadas.

– Méliuz: se eu faço alguma compra no site de meu interesse (Ponto Frio, Nespresso, Americanas, Wallmart, etc) entrando primeiro no site do Méliuz, além de ganhar um desconto no momento da compra, recebo uma parte do dinheiro de volta. Quem me indicou este site foi a Bruna do Uma Vida Mais Simples. Eu adorei!

Bom, são esses os programas que tenho cadastro. Antes, eu participava de vários programas de fidelidade e os pontos ficavam dispersos e nunca conseguia juntar pontos suficiente para trocar por alguma coisa (pois a maioria dos programas possuem prazo de validade).

Depois de passar a concentrar os pontos em poucos programas de fidelidade, tenho resgatado muito mais vezes. ✌️

~ Yuka ~