Detox digital forçado (parte 3)

celular

Dizem que quando a gente quer muito uma coisa, todo o universo conspira para que a gente realize o desejo.

Pois então.

Eu queria muito fazer o detox digital… e meu celular fez o favor de quebrar.

Eu achei que se um dia ficasse sem celular, iria sentir muita falta, achei que iria ficar louca, como um vício, sofresse abstinência.

Mas me surpreendi quando meu celular pifou de uma hora pra outra, e eu não fiquei ansiosa, muito menos desesperada. Com toda a calma do mundo, fiquei 4 semanas sem celular, e estava tudo bem.

Depois descobri que eu tinha perdido todos os dados do meu celular. Ou seja, perdi minhas preciosas listas, minha agenda, meus contatos, perdi tudo. Mas como um milagre, eu tinha feito backup somente das fotos da minha filha recém-nascida. E pensar que poderia ter perdido todo o registro do primeiro mês de vida dela…

O fato de ter recuperado essas fotos minimizou todo o restante dos problemas. Não importava mais as listas, os aplicativos, minhas anotações… só estava muito agradecida pelas fotos.

Recomeçar a “preencher” o celular, me deu um sentimento bom de que desta vez, deixaria o celular minimalista.

É tentando ver o lado bom das coisas que vou seguindo. Se lamento pelo conteúdo perdido? Demais! Mas valeu como uma lição, de fazer backup periodicamente.

– Yuka –

Anúncios

A importância de sonhar

balão de ar quente

Andei pensando em como o tempo (ou melhor, a falta dele) faz com que a gente pare de sonhar, faz a gente viver no automático – acorda, toma café, vai para o trabalho, volta para casa, toma banho, faz o jantar, come, faz as tarefas de casa e dorme – e quando percebemos o dia já acabou, a semana já passou e o fim de ano já chegou.

Desde que descobri a lista do “Talvez, Um dia desses”, fui preenchendo essa lista com as coisas que um dia gostaria de fazer.

Desde ler livros de filosofia, voltar a fazer aulas de patchwork e ter um ofurô em casa, a lista foi sendo preenchida com muito carinho e calma.

E ao começar a abrir meu baú de memórias, comecei a lembrar de alguns sonhos, alguns da época em que eu era criança (como morar em um trailer), outros da época da adolescência (como correr a São Silvestre fantasiada 😬), e até sonhos de alguns anos atrás (como ter uma vespa italiana ou conhecer as obras do Antoni Gaudí na Espanha). Também queria adotar um parque do meu bairro, aprender a correr, acordar mais cedo. Enfim, sonhos grandes e sonhos pequenos.

Também recordei de muitos sonhos que já foram realizados… morar sozinha, ter um grande amor, aprender a cozinhar, nadar com um boto cor-de-rosa, andar de balão de ar quente, voar de paraglider, fazer um intercâmbio, conhecer alguns lugares maravilhosos ao redor deste mundo.

E percebi como tantos sonhos podem se tornar realidade.

Sonhar é importante, mas muitas vezes, não basta sonhar. É necessário trazer esse sonho para a realidade. E isso é tão importante quanto sonhar.

Eu faço assim: quando o final do ano se aproxima, eu escolho qual sonho quero concretizar. E me preparo para que ao longo do ano que vem eu tenha condições de realizar esse sonho.

Se é uma viagem, é saber onde, quando, como, com quem vou viajar e quanto vou precisar.

Se é uma corrida, é me preparar física e mentalmente, começando aos poucos.

Se é um curso, é descobrindo onde o curso é oferecido, quanto custa, o tempo de duração, além de abrir um espaço na agenda.

É uma forma de tornar o sonho mensurável e palpável, além de não esquecer nunca, que apesar da correria do dia-a-dia, os nossos sonhos terão sempre espaço na nossa vida.

Por isso a recomendação é: escreva! Pode ser em um caderno, no celular, no computador, mas anote… para nunca mais se esquecer dos sonhos.

– Yuka –

Como fazer iogurte grego e granola caseira

Eu nunca fui uma pessoa fã de iogurte natural, pois achava sem graça, aguado, insosso, esquisito…

… até começar a fazer o meu próprio iogurte.

Gente, sério, iogurte grego é muito gostoso.

Eu comprei uma iogurteira e desde então faço toda semana de 2 a 3 vezes.

E pra coroar essa delícia, passei a fazer a minha própria granola.

É outra delicia também rs.

É tão gostoso que eu e meu marido perdemos o interesse por sorvete. Só queremos comer o iogurte. Usamos a geleia de morango para adoçar (feita pela minha mãe) e depois acrescentamos a granola. Hummm, nham nham nham.

A pedidos, segue a receita do iogurte grego e granola.

 

IOGURTE GREGO CASEIRO

O iogurte em si, é muito fácil de fazer.

Eu comprei uma iogurteira para facilitar a minha vida, pois não queria ficar amornando o leite toda vez, mas não é essencial. Eu só comprei porque achei que iria agilizar a minha vida (e agilizou mesmo).

1
Essa é a minha iogurteira.

Basta misturar 2 colheres de sopa de iogurte natural não adoçado (metade do potinho) em 1 litro de leite. Misturo bem e deixo na iogurteira ligada por 8 horas. O iogurte fica pronto assim.

2
Aqui está o iogurte normal pronto. A partir deste iogurte, eu preparo o iogurte grego.

Como eu gosto do iogurte beeeem espesso, eu dessoro o iogurte. Para isso, eu comprei na mesma loja online da iogurteira o dessorador.

3
Agora é só transferir o iogurte pronto no dessorador para tirar o soro do iogurte.

Então é só transferir esse iogurte na dessoradora e deixar escorrendo o soro por mais 5-8 horas, até chegar na consistência do seu agrado.

4
Eu, transferindo o iogurte na dessoradora.
5
Deixo na porta da geladeira por algumas horas até alcançar a consistência que gosto.
6
Olha quanto soro saiu.
7
Transfiro num pote e guardo essa delícia na geladeira.

A loja online fala pra usar um coador de café de papel, e usei nas primeiras vezes. Mas depois eu comprei um coador que não é descartável (é sintético, mas não sei dizer de que material é) numa loja chamada Lojas Mel, por R$2,99. Então uso e reuso esse coador só para este fim. Depois é só transferir em um pote, misturar bem com um garfo ou com um fuê e está pronto o mais delicioso iogurte grego.

Aqui em casa vira uma linha de produção para fazer o iogurte. Enquanto estou dessorando o iogurte, já uso a outra metade do potinho para fazer um novo lote de iogurte. Mas também gosto de usar como “isca” as 2 colheres do iogurte que acabou de ficar pronto. E assim com apenas 1 potinho comprado eu faço o iogurte umas 10 vezes.

 

GRANOLA CASEIRA

8

Já a granola não tenho medida, é tudo no olhômetro. Mas é bem fácil de fazer.

Eu pego uma bacia bem grande e vou misturando:

  • castanha de caju picadas
  • castanha do pará picadas
  • aveia em grãos
  • quinoa
  • gergelim branco
  • linhaça
  • semente de girassol
  • amendoim torrado sem casca

Quando estiver na quantidade bem bacana (a aveia é o que sobressai na granola), misturo de 1 a 2 colheres de açúcar mascavo, de 1 a 2 colheres de óleo de coco, de 1 a 2 colheres de mel. Misturo bem e sinto com as pontas dos dedos se está um pouquinho úmido. Se estiver muito seco, coloco um pouco mais de mel.

Coloco na assadeira uma camada beeem fina de granola (na primeira tentativa, coloquei demais na assadeira, e a granola mesmo pronta continuou úmida) e deixo no forno baixo até dourar um pouco. Fico misturando a cada 5 minutos para dourar bem todos os grãos. Cuidado para não queimar a granola, pois para pegar cor é muito rápido.

Depois de pronto, acrescento coco ralado queimado e vou transferindo no potinho e espero esfriar bem antes de fechar o pote. Ele fica soltinho e crocante.

Vira um belo presente para seus amigos.

~ Yuka ~

Isso também passará

Há alguns meses, começou a circular no YouTube, um vídeo curto de uma pessoa com o título “isso vai passar”.

Essa frase, retirada do arquivo de Folclore de Israel, se tornou famosa depois do discurso de Abraham Lincoln.

Quando sabemos que tudo o que estamos vivendo irá passar, passamos a aproveitar melhor o momento, tentando eternizar aquele momento, porque sabemos que isso vai passar.

Da mesma forma, se estamos em um período difícil, essa frase traz conforto, porque como sempre diz a minha mãe, não há inverno que dure para sempre.

Por saber que nada dura para sempre, nem as coisas ruins, nem as coisas boas, aproveitamos para aprender com as dificuldades e ter humildade e gratidão nos momentos de felicidade.

Então se você que está lendo esse texto, está passando por uma fase muito difícil, saiba que isso irá passar.

E se está vivendo dias bons, aproveite para curtir cada momento, pois isto também passará.

~ Yuka ~

Minha vida frugal, de volta ao passado…

vida frugal

Às vezes, tenho a sensação de que nasci na época errada. Às vezes, tenho a sensação de que estou voltando ao passado.

Enquanto muitas famílias pedem comida fast-food na sexta-feira à noite, aqui em casa geralmente rola uma comida caseira, como um hambúrguer caseiro com batatas fritas rústicas.

A minha casa tem sempre cheirinho de comida. Cheiro de pão caseiro saindo do forno, um bolo fofinho, uma assadeira cheia de suspiros…

O forno funciona praticamente todos os dias: são cookies, brownies, bolos, batatas recheadas, tomate confit, castanhas e amendoins torrados, sempre tem alguma coisa no forno, e na porta do forno, um pano de prato úmido para aproveitar o calor.

Faço o meu próprio iogurte grego, a granola, pão, molho de tomate, caldo de galinha, biscoito, bolo…

Faço sabão em barra, produtos de limpeza, costuro e sei fazer pequenos consertos.

Faço comida todos os dias e ainda levo marmita ao trabalho.

Estou tentando produzir meus próprios queijos.

Se tenho um tempo sobrando, faço massas de cookies para deixar congelado. Assim, quando recebo visitas, geralmente elas são mimadas com uma fornada de cookies quentinhos.

É como se eu voltasse a viver os tempos dos avós.

Para muitas pessoas, devo viver uma vida sem graça.

Para mim, vivo tentando desacelerar e descobrir as pequenas alegrias do dia a dia.

E querem saber? É uma delícia viver assim.

– Yuka –