Seja feliz em silêncio

felicidade em segredo

Por muitas vezes meu marido insistiu para que eu divulgasse esse blog entre o círculo de amigos que nós temos. Em todas as vezes eu recusei.

Uma revista já entrou em contato comigo para pedir uma reportagem sobre pessoas que levam uma vida minimalista em cidades grandes. Eu aceitaria, desde que não tirassem minha foto, nem divulgassem meu nome completo. A revista não aceitou as minhas condições e pra mim estava tudo bem. Prefiro continuar no anonimato.

Pra mim, esse blog é um pequeno tesouro. É onde me encontro e encontro pessoas parecidas comigo. Não tenho necessidade de divulgar, nem de ser conhecida, ou reconhecida.

Poucas pessoas do meu convívio sabem que tenho este blog. Poucas pessoas sabem que levo um estilo minimalista. Poucas pessoas sabem que guardo dinheiro. Poucas pessoas sabem que sou feliz com pouco. Poucas pessoas sabem da minha felicidade.

Vivemos num mundo onde tirar uma selfie e postar nas redes sociais para mostrar (ou provar) como é descolada/amada/inteligente/sofisticada/rica virou normal.

A cada ano que passa, tenho a absoluta certeza de que o segredo da felicidade, é ser feliz em silêncio.

~ Yuka ~

Você complica sua vida?

Captura de Tela 2016-03-23 às 18.00.42

Como vocês sabem, estou tentando descomplicar cada vez mais a minha vida e a rotina que me cerca. Tenho avaliado que muitas das nossas dores de cabeça e falta de tempo vêm das decisões erradas que tomamos ao longo do dia de forma inocente e muitas vezes inconsciente.

Um simples passeio por uma loja de enxovais para cama, mesa e banho pode trazer mais trabalho no seu dia-a-dia como pode ler neste post.

A compra de um lindo carrinho de bebê super equipado pode fazer com que o carro precise ser trocado (por um modelo com um porta malas maior), pagar um IPVA mais caro, um seguro mais caro, ter um gasto maior de gasolina, mais dívidas.

Comprar roupas de tecido chatinho vai fazer com que eu passe mais tempo com o ferro de passar roupa.

Casas muito decoradas com bibelôs, lembrancinhas de viagens, objetos de decoração pode ser lindo. Mas haja paninhos para tirar a poeira de tudo.

É um exercício tentar simplificar a rotina, sem prejudicar o resultado final.

Tenho feito algumas coisas que podem até deixar algumas pessoas de cabelo em pé, mas é inegável que minha vida anda leve mesmo com uma bebê em casa.

– Muitas das minhas roupas não precisam ser passadas a ferro, pois são peças de tecido molinho que não amassam. Roupas que fico em casa também não são passadas.

– Também não passo toalhas de banho, lençol, fronhas, panos de prato.

– Quando lavo as cortinas, protejo os ilhoses em um saco e coloco na máquina de lavar roupa. A máquina lava, enxagua e centrifuga pra mim. Ao invés de estender no varal, eu já coloco a cortina de volta no bastão para secar desse jeito e abro bem as janelas para arejar. O próprio peso da cortina úmida vai deixando o tecido bem esticado (essa eu aprendi com a minha mãe).

– Sempre que for lavar a louça, eu guardo a louça anterior, pois geralmente está seca ou quase seca. Desta forma, o próprio tempo faz o trabalho de enxugar as louças.

– Também decidi gostar das pessoas que gostam de mim, já que ficar agradando pessoas que nem gostam tanto de mim era muito cansativo. Hoje eu penso assim, se a pessoa fica brava comigo ou não faz questão da minha amizade, quem está perdendo é a pessoa, porque eu sei que sou uma pessoa super legal e muito amiga. Depois que passei a pensar desta forma, parei de ficar chateada, ou magoada. É um direito que a pessoa tem, mas reservo o meu direito de ser indiferente também.

– Eu tenho um vestido lindo, de tecido super leve. Toda vez que bate um vento ou pegava o metrô, tinha que segurar a barra da saia para não levantar. Até que comecei a colocar um shortinho preto. Pronto! Eliminei uma preocupação.

– Se o mercado está caro (e está mesmo!), ao invés de reclamar, eu prefiro analisar de que forma posso gastar o mesmo valor sem comprometer na variedade e qualidade dos alimentos.

– Se o metrô aumentou, faço algumas contas até descobrir que o bilhete mensal não sofreu reajustes, passando a compensar e muito no meu caso. Pequenos trechos que eu costumava fazer a pé, agora faço de metrô, e ainda economizo tempo.

– Se percebo problemas no meu serviço, tento resolver o problema, mas quando vejo que as decisões não dependem de mim, paro de me preocupar e me preparo para adaptar à nova situação.

Sabe, são esses pequenos incômodos do dia-a-dia que eu tento resolver. E quando percebo, a minha vida está mais leve.

Parecem ser pequenas tarefas, pequenas preocupações, que quando juntas, tem um poder de nos deixar com rugas no rosto.

A gente tem o costume de falar que a vida é complicada demais. Mas já parou para pensar que muitas vezes somos nós que complicamos a vida?

~ Yuka ~

Festa de aniversário minimalista em casa: aniversário de 1 ano

festa aniversario minimalista 1

Acho muito legal festas minimalistas, com poucos convidados e poucos enfeites, como já havia comentado neste post. Inclusive, o meu casamento foi minimalista também.

Esses dias foi o aniversário de 1 ano da minha querida filha. Fizemos uma festa pequena em casa, apenas para os mais chegados (total de 8 pessoas).

Foi muito bom, minha filha não se assustou com as pessoas, foi no colo de todo mundo, se divertiu com os brinquedinhos novos, e até bateu palmas na hora de cantar o parabéns. Foi uma festa pensada para ela.

Fizemos o bolo, os doces, mas encomendamos os salgados. Tudo muito simples, mas feito com muito carinho.

festa aniversario minimalista 2

festa aniversario minimalista 3

Comprei bexiga e grudei com fita crepe no teto.

festa aniversario minimalista 4

festa aniversario minimalista 5

Bolo kitkat feito por mim e pelo meu marido.

festa aniversario minimalista 6

festa aniversario minimalista 7

Copinhos de brigadeiro.

festa aniversario minimalista 8

Um pouco de gomas coloridas para colorir a mesa.

festa aniversario minimalista 9

E sachêzinho de gaveta como lembrancinha.

Eu já tinha o prato para bolo e também as caixinhas em MDF (que aliás são ótimas para festas). Acho bom ter essas peças em casa porque vira um acessório coringa na hora de receber visitas. Como vê na foto, dá para usar de duas formas, como caixinha ou com ele virado ao contrário.

Essas caixas são tão úteis que tenho uma na bancada do banheiro, no hall de entrada, no criado mudo e em cima da mesa de jantar como porta-remédio. Até escrevi um post especial sobre essas caixinhas.

Mas veja, eu e meu marido temos a característica de sermos reservados em relação à vida pessoal. Por isso uma festa minimalista cai como uma luva para o nosso estilo de vida.

Se esse não é o seu caso, se você gosta de animação, pessoas, festas grandes, faça uma festa grande, desde que isso seja a vontade sua, e não dos outros. O importante é identificar o que é essencial para você.

~ Yuka ~

 

 

Gastos dos 7 meses aos 12 meses

Dando continuidade ao post “O que custa mais caro: ter um filho ou a vaidade dos pais?”, quero compartilhar com vocês como foram os gastos da minha filha, dos 7 meses ao 12 meses.

  • FRALDAS: Continuei usando as fraldas que ganhei no chá-de-bebê, por isso não tive gastos com fraldas por enquanto.
  • CADEIRINHA PORTÁTIL PARA ALIMENTAÇÃO: comprei o modelo portátil da Fisher-Price, pois minha casa é pequena. Muito bom, compacta, dá para instalar em vários tipos de cadeira. Possibilita tirar a bandeja, regular a inclinação e altura. Outro dia recebi a visita de uma criança de 3 anos que usou o cadeirão tranquilamente para almoçarmos todos juntos na mesa. Uma nova custa R$600,00. Eu comprei uma usada em ótimo estado por R$130,00.

Screen shot 2016-06-03 at 10.54.42

  • ITENS DE SEGURANÇA PARA CASA: protetor de tomada, protetor de quina para os móveis e trava para gavetas e vaso sanitário. A minha filha é muito curiosa, e sem esses itens, achei que seria arriscado.
  • REMÉDIOS: como todo bebê que começa a frequentar a creche, ela já teve gripe, virose, diarréia, conjuntivite. Então comprei remédios para ela.
  • ROUPAS: ainda estou usando as roupas que ela ganhou.
  • BRINQUEDOS: outro item que ainda não estou tendo gastos. Ela brinca com uma colher, panela, potes, escova de dente, lata de leite vazia, caixa de papelão, tudo vira brinquedo para ela. O que andei comprando foram livros infantis, pois vejo que ela adora livros.
  • ARTIGOS DE HIGIENE: como limpo o bumbum dela com algodão molhado, compro rolos de algodão para depois cortar, sabonete e xampu, dedeira para limpar os dentinhos.
  • MAMADEIRA, COPO DE TREINAMENTO E POTE TÉRMICO:
  • SAPATO
  • CADEIRA PARA CARRO: a partir de 12 meses, parece que aposentamos o bebê conforto para usar outro modelo de cadeira. Eu ganhei um usado da minha prima, para instalar no carro da minha mãe.

Como vê, ainda não tive tantos gastos com a minha filha.

~ Yuka ~