Você prefere Qualidade de Vida ou Padrão de Vida?

Código de barras prisão

Hoje queria falar um pouco sobre o que eu acho sobre padrão de vida. E para exemplificar isso, vamos analisar essas 2 famílias, que ganham o mesmo salário:

Família 1:

  • mora em um apartamento de 2 dormitórios
  • mora em um bairro popular
  • possui carro popular
  • filhos estudam em escola de bairro

Família 2:

  • mora em um apartamento de 3 dormitórios
  • mora em um bairro mais caro que a família 1
  • possui carro mais caro que a família 1
  • os filhos estudam em escola mais cara que a família 1

Qual destas famílias você acha que vive melhor e que possui mais dinheiro?

Ao olhar somente a aparência, todos iriam dizer que é a Família 2, já que mora em um bairro mais caro, possui um carro mais caro e os filhos estudam em uma escola mais cara. Somando a facilidade de crédito imobiliário, financiamento de carro, empréstimo consignado e cheque especial, dá para elevar (e muito!) o padrão de vida.

Só que as pessoas nunca imaginariam que essas duas famílias recebem o mesmo salário, pois a família 2 possui um padrão de vida bem mais elevado.

Quanto mais posses VISÍVEIS, mais importante e invejada a pessoa se torna.

A sociedade que nós mesmos construímos valoriza e reconhece a aparência e o status não através do que a pessoa é, e sim através do que a pessoa possui.

Eu não quero viver em um Padrão de Vida que não posso sustentar. Quero viver com Qualidade de Vida. E eu aboli essa forma de viver de aparência porque percebi que não há um fim. Quanto mais se ganha, mais se gasta. E quanto mais se gasta, mais o padrão de vida aumenta, só que não necessariamente a qualidade de vida aumenta na mesma proporção. Por isso precisamos aprender a ter gratidão pelo que já conquistamos, e não pelo que falta.

Não é porque todo mundo compra apartamento na planta que eu preciso também comprar um apartamento novo. Posso muito bem comprar um apartamento usado e reformar aos poucos.

Não é porque todo mundo tem um carro (principalmente depois que tem um filho) que eu também precise ter um carro. Posso comprar uma cadeirinha para instalar na minha bicicleta e ter a mobilidade que tanto desejo.

Veja bem o que eu quero dizer. Nós não precisamos ser iguais. Não é preciso elevar o padrão de vida só porque a dos colegas são altos. Será que elevar o padrão de vida é para impressionar outras pessoas?

Sabe qual é a parte boa de não ostentar? Ninguém sente inveja da sua vida. E isso tira o peso das costas pra viver de uma forma leve, porque ninguém cria expectativas em relação à sua forma de viver.

“Muitas pessoas gastam dinheiro que não tem, para comprar coisas que não precisam, para impressionar pessoas que não gostam.” – Will Rogers

~ Guta ~

Anúncios

9 comentários sobre “Você prefere Qualidade de Vida ou Padrão de Vida?

  1. Por muito achei que a felicidade poderia ser medida pelo padrão de vida, mas hoje vejo que é o contrário. É muito melhor viver em um padrão abaixo do que sua renda poderia te proporcionar e curtir a vida com tranquilidade, sem perder o sono com as dívidas. É libertador 🙂 Beijos!

    • Olá, obrigada, já acrescentei o nome dele. 😀
      Que bom que você gostou deste post. Aguarde mais alguns dias, estou para publicar alguns textos para continuar a reflexão deste post.
      Um beijo!!!

  2. Qualidade de vida às vezes é confundido com “padrão de vida”. Moro com meu marido 1,5 km do Parque da Aclimação, perto de um metrô e uns 15 minutos da Paulista; nós alugamos um apartamento pequeno de 1 quarto faz uns anos enquanto pessoas que conhecemos escolheram morar em um lugar longe em apartamentos de 2, 3 quartos, com piscina, com isto, com aquilo, etc e pagar um aluguel similar. Quando decidimos alugar aqui, o aluguel ficava 200 reais a mais (e fica) que nos lugares onde meus cunhados moram. Mas fizemos contas: nós não temos carro (eu não sei dirigir), o apartamento me permite andar até meu serviço, meu marido pega transporte coletivo para o dele, temos a grande oportunidade de ficar perto do Sesc Vila Mariana, o Itau Cultural, o Centro Cultural São Paulo, a Liberdade, o Parque da Aclimação, 5 km do Ibirapuera, etc o que nos permite ter uma vida cultural ativa sem gastar muito. Aí vc ouve coisas como: ah, mas vc mora em um lugar caro, por isso não tem carro, não tem tv a cabo, não consegue comprar um celular mais novo, etc. Na realidad, pagamos só 200 reais a mais que o resto do mundo no nosso aluguel. 200 reais que não cobrem os gastos que os nossos conhecidos tem no seguro do carro, no condominio com piscina que não tem tempo de usar, na TV a cabo que não conseguem assistir. 200 reais aliás, que eu gastaria se tivesse que pegar ônibus ou metrô para ir até meu serviço 5 vezes por semana. Então a qualidade de vida para muitos é ter coisas, embora vc não possa aproveitá-las. Por sorte em casa somos duas pessoas que pensamos que pegar metrô no mata ninguém e não ter o novo Iphone que vale o triplo dos nossos salários não está nas nossas prioridades.

    • Sim, eu te endento perfeitamente. Meus colegas também justificam o fato de eu conseguir juntar dinheiro por não ter um carro, se tivesse carro como eles, também não conseguiria juntar dinheiro. Que eu vou conseguir ter 3 filhos porque pretendo colocar em escola pública, se colocasse em particular como eles, só teria 1 filho. Que eu comprei o meu apartamento de 1 dormitório e quitei rápido porque ele é usado, se comprasse um apartamento de 3 dormitórios novo na planta, também estaria pagando um financiamento. Que eu consigo fazer os meus artesanatos porque eu tenho um marido que me ajuda em casa, se fizesse tudo sozinha como elas, não sobraria tempo. O que eu percebi é que as pessoas sempre têm justificativas na ponta da língua. Não percebem que para ter algo, precisam abrir mão também de alguma coisa. Eu consigo juntar dinheiro porque não tenho TV a cabo, não tenho carro, não uso roupas de grife, não como em restaurantes caros toda semana, não tenho jóias, não tenho plano pós-pago de celular, não tenho ninguém para limpar minha casa. Enfim, acho que é mais fácil justificar do que tentar fazer o que você faz. 🙂

  3. Pingback: Retrospectiva dos meus posts de 2015 | VIVER SEM PRESSA

  4. Bem legal o post, é bem difícil manter uma vida mais simples, eu tento e muitas mas muitas vezes me vejo pensando igual a todo mundo. Eu sou de minas, cresci em um bairro popular, meus pais tinham um carro popular e eu estudava em um escola pública. Depois que casei mudei de cidade, e quando não conhecemos uma cidade pegamos dicas de pessoas que conhecem, acabamos nos mudando para um bairro muito bom! Não é o melhor bairro da cidade, tem lugares muito mais caros, mas é um bairro em um nível superior do qual ambos morávamos na outra cidade, e como é difícil sair daqui! Moro em um ape de 2 quartos pequeno, com o preço que pago nesse ape eu pagaria uma casa de 3 quartos com quintal em um local mais afastado, mas isso para as pessoas é um absurdo! Nos acham loucos quando falamos nessa possibilidade, e muitas vezes nós mesmo desistimos dessa ideia porque aqui é perto de tudo, condominio tem muitas coisas, mas nós sem usufruimos do condominio! Nem saimos muito do ape para usufruir das coisas que são perto daqui, ou seja, agente está deixando de ter uma qualidade de vida melhor, num espaço maior, só para “ficar perto” de um monte de coisa que agente nem precisa! Mas eu vou conseguir me livrar desse pensamento heheh, espero logo poder vim aqui e contar que mudei heheh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s