Compostagem alternativa

Eu gosto muito da ideia de fazer uma compostagem em casa, de reduzir ao máximo o lixo orgânico produzido por mim e no final, “receber” como recompensa, um adubo rico em nutrientes que as plantas adoram.

O único porém é que eu já tentei algumas vezes, mas nunca consegui acertar. A minha composteira (com ou sem minhocas) vira um pesadelo depois de algumas semanas, sempre com um cheiro de lixão, com larvas enormes e assustadoras. Sei que isso acontece porque eu ainda não acertei em fazer a compostagem da forma correta… e pra piorar, ainda tenho medo de insetos…

Agora resolvi fazer diferente. Nem sei se ainda posso chamar o que estou fazendo de composteira doméstica, mas vai lá.

Ao invés de fazer em composteiras, resolvi fazer direto em um vaso de plantas. Liberei um vaso, coloquei as pedras expandidas no fundo, mais a manta bidin. Depois coloquei um pouco de terra e comecei a fazer o processo de colocar 1 camada de lixo orgânico (casca e restos de frutas, legumes e verduras), depois 1 camada de folhagem seca (coloquei guardanapo usado, palha de milho, casca seca de ovo e café coado com o coador de papel) e por fim, uma camada fina de terra.

Para não ficar revolvendo a terra todos os dias, faço isso 1 vez por semana. Para que o lixo orgânico não estrague neste intervalo de 1 semana, guardo em um pote de sorvete com tampa dentro da geladeira. E o lixo seco guardo também em um pote de sorvete, mas fora da geladeira.

Assim que o vaso ficar cheio, pretendo migrar uma muda que eu já tenho para esse vaso com os compostos, e libero um vaso para recomeçar a compostagem.

Para entender melhor, fiz o passo-a-passo abaixo:

composto1

 

composto2

composto3

composto4

composto5

composto6

composto7Como o vaso fica onde pega chuva e sol, ele sofre as intempéries do clima. A minha esperança é que assim, quem sabe, não dê larvinhas, por não ficar abafado.

~ Guta ~

Anúncios

2 comentários sobre “Compostagem alternativa

  1. Pingback: Minimalismo como estilo de vida | VIVER SEM PRESSA

  2. Pingback: Resenha: Decomposer, a composteira doméstica elétrica da Trasix | VIVER SEM PRESSA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s