Hortaliças para quem me visita

alface

Minha mãe passou em casa hoje.

Cheirou os temperos, experimentou um morango colhido na hora.

Na hora de ir embora, dei de “lembrança” dois pés de alface-roxa, um pé de alface-crespa e um punhado de hortelã, tudo orgânico.

Insisti para que ela levasse mais temperos como orégano e manjericão, mas ela já estava satisfeita.

Devia ter fotografado a felicidade dela, olhando as hortaliças que ganhou por dentro da sacola.

~ Yuka ~

Anúncios

Horta em vasos

Ter uma horta orgânica em vasos é um desafio.

Depois de muitas tentativas e erros, quero compartilhar alguns conhecimentos que adquiri:

TAMANHO DOS VASOS: O que eu considero mais importante para quem planta em vasos é verificar o tamanho dos vasos. Quanto maior o vaso, mais fácil controlar a umidade. Eu plantava antes em vasos menores, do tamanho de 10 cm largura x 20 cm comprimento x 12 cm de altura, e nunca dava certo. Não dava certo porque apesar de regar as plantas de manhã, como o vaso era pequeno, a água evaporava durante o dia e as plantas não agüentavam até receber a rega da noite. Então lembrem-se, comprem vasos grandes e se possível vasos altos. Assim, ao longo do dia, as minhoquinhas conseguem transitar entre ficar perto da superfície ou ficar no fundo do vaso que geralmente é mais úmido.

QUANTIDADE DE ÁGUA: Água é outra questão que deve ser tratada com cuidado. Alguns dizem que não se pode regar todos os dias porque as raízes das plantas apodrecem, outros dizem que é essencial a rega diária… Eu aprendi que é necessário sim regar todos os dias, mas em quantidades controladas. Se fez muito calor, dou água de manhã e a noite. Se fez um calor razoável, rego no dia seguinte na parte da manhã. Se fez um friozinho, dou só um pouquinho de água. Regar de manhã cedo é melhor do que regar a noite porque dependendo da espécie, a raíz pode pegar fungo ou pegar mofo. Já de manhã, as plantas absorvem a água e conseguem encarar um dia de sol com mais força. Só não vale regar quando o sol já estiver alto, pois a água cozinha dentro da terra e você sufoca as raízes e mata as minhocas. Rego o suficiente, mas não a ponto do vaso começar a escoar água, pois junto com a água, pode ir embora os nutrientes.

ÁGUA DA CHUVA: Se você tiver oportunidade de pegar um pouco de água da chuva, não hesite e deixe um balde no terraço do seu apartamento. Água da chuva com certeza é muito melhor do que água de torneira que vem com cloro. As plantas crescem mais viçosas e com energia quando chove, já tinham percebido?

ESCOAMENTO DA ÁGUA DOS VASOS: Eu acho essencial ter um suporte para vasos, para que os vasos não fiquem encostados no chão. E tenho 2 motivos para isso. O primeiro motivo é que fica muito mais fácil de limpar o chão. Com um esguicho de água, você retira a terra acumulada embaixo do vaso. E o segundo motivo que é o mais importante, evita o empoçamento da água. Eu reparei que a maioria dos vasos acaba criando um vácuo embaixo, impedindo a saída da água. Com o suporte, isso não acontece mais. Toda água que a terra não consegue absorver, escorre pelo fundo do vaso com a ajuda do suporte.

Suporte para os vasos das plantas
Suporte para os vasos das plantas

ADUBAÇÃO: Excesso de adubo é tão perigoso como falta de adubo. Ter uma horta não significa “mudas + terra + adubo + água + sol = sucesso garantido”. Muito pelo contrário, descobri que cuidar de uma horta é um pouco de química, de física, de matemática, de biologia tudo misturado. A terra precisa de algumas substâncias para que as plantas possam se nutrir. Em alguns casos, excesso de adubo pode queimar a planta, como é o caso de esterco de galinha. Tudo deve ser feito com muito cuidado, ler rótulos, estudar pela internet é essencial.

ANALISAR O LOCAL: Antes de sair para comprar envelope com sementes ou mudas, o local em que as plantas serão colocadas precisam ser estudadas. Quantas horas de sol seu quintal, varanda, terraço possui? O local recebe muito vento? É essencial que as condições climáticas do local e da planta estejam alinhadas. Da mesma forma que um peixe não vive fora da água, uma planta de sombra não sobrevive embaixo de sol.

COMPOSTAGEM: Fazer compostagem ou minhocário em casa pode virar um pesadelo com cheiro de lixão se não for bem feito, com larvas enormes de moscas (tentei 3 vezes, sem sucesso). Se for o caso, compre húmus de minhoca em lojas especializadas para adubar suas plantas.

AERAR A TERRA: Uma vez por mês, com auxílio de um garfo próprio para a jardinagem, afofo a terra em volta das plantas, tomando cuidado para não machucar as raízes. Pois com o tempo, a terra vai se compactando e ficando cada vez mais dura. Isso prejudica o desenvolvimento da planta, já que as raízes terão muito mais dificuldade para se alastrar e também prejudica a absorção do adubo. Ao colocar um pouco de adubo, eu retiro a terra endurecida e acrescento no lugar o adubo e misturo bem para incorporar com a terra.

MANTER A UMIDADE DA TERRA: Para manter a umidade da terra e evitar que a terra fique dura e ressecada, eu coloco um pouco de folhagem seca ou até mesmo cascas de madeira comprados em lojas especializadas, por cima da terra. Assim, evito que o vento leve a terra e ainda ajuda a manter a umidade da terra.

Esses são os principais tópicos em relação a quem está começando a ter uma horta em vasos.

~ Yuka ~

Como anda a minha horta orgânica

Uma coisa tenho aprendido com a minha horta: é preciso dar uma atenção diária para as plantas (e não apenas 2 vezes por semana, como eu achava).

Todo dia, a primeira coisa que faço ao acordar, é aguar a minha horta. Mas não é aquele “aguar de qualquer jeito”. É esguichar a água devagar, simulando chuva. Como a minha horta é cultivada em vasos, tenho que tomar muito cuidado para não deixar a terra seca. Sempre lembro que há minhocas morando nos vasos, e que por isso mesmo, a atenção tem que ser redobrada. Terra seca = minhocas mortas.

No final do dia, quando volto do meu trabalho, verifico se há alguma infestação de insetos como pulgão, cochonilha, lesma. Se o dia foi de muito calor, dou um pouco mais de água em todas as plantas. Como eu quero que a minha horta seja orgânica, todo produto que eu uso desde adubação até prevenção de insetos são feitos com produtos naturais.

E nos finais de semana alterno entre afofar a terra, retirar as plantas mortas, fazer adubação, trocar as plantas para um vaso maior, etc.

Ter uma horta em apartamento, definitivamente não é um hobby barato pra mim, pois preciso comprar desde vasos, adubo, até terra. Mas tem sido bem gratificante as poucas colheitas que tenho feito. Não vejo mais necessidade de comprar hortelã, salsinha, orégano, manjericão, manjerona, entre outros temperinhos, pois o que eu tenho tem sido suficiente para o meu uso.

Às vezes colho alguns poucos morangos, mas são os mais doces que eu já experimentei.

E tenho percebido que plantar não é tão fácil e simples como parece, mas com persistência é possível ter uma horta em casa.

Ainda cometo erros simples como excesso de adubação, excesso de água, falta de água, excesso de cuidados (como arrancar com perfeição toda folha amarela que vão surgindo pelo caminho, inclusive na cebolinha que descobri depois de muito tempo que não é para arrancar nada).

Segue algumas fotos da minha horta:

Tomilho e Alecrim
Tomilho e Alecrim
Orégano
Orégano
Morango
Morango
Manjericão
Manjericão
Manjerona
Manjerona
Hortelã
Hortelã
Cebolinha
Cebolinha
Coentro e salsinha crespa
Coentro e salsinha crespa
Tagete e Onze Horas
Tagete e Onze Horas
Capim Santo
Capim Santo
Salsinha
Salsinha
Lavanda
Lavanda
Capuchinha
Capuchinha
Pimenta
Pimenta
Salsão
Salsão
Erva Doce
Erva Doce
Nirá
Nirá
Shisô
Shisô
Mitsuba
Mitsuba

Vida minimalista

minimalista

Percebo que muitas pessoas confundem “viver de forma minimalista” com “viver de forma modesta”.

Ser minimalista não significa parar de gastar dinheiro ou viver com pouco.

A ideia não é mudar radicalmente o estilo de vida, não é ter menos coisas, viver sem televisão, sem carro, deixar de viajar, não comprar roupas (claro que tem pessoas que fazem isso).

Eu não sou minimalista-radical, mas simpatizo com o conceito Minimalismo. Não por uma questão financeira, mas por uma questão de escolhas.

Tudo na nossa vida se resume a escolhas.

Ser minimalista é adquirir coisas que são essenciais para você. E ao fazer essas escolhas, você repensa o que é essencial, que é a felicidade. Você decide se quer navegar na internet durante 30 minutos ou conversar com seu marido durante os mesmos 30 minutos enquanto toma um café da tarde. Você decide se quer morar em uma casa grande ou morar em uma casa menor que atenda as suas necessidades.

Quando a vontade de ser minimalista prevalece, torna-se superficial ter uma sapateira abarrotada de sapatos, se usamos apenas em média de 5 a 6 pares do que temos. Ou seja, eliminamos todos os sapatos que não usamos e passamos a ter somente os que usamos com freqüência. Com o tempo, aprendemos a não abrir a carteira, se não for necessário.

Vê que poupar dinheiro para um minimalista é uma consquência? E não o motivo principal? O minimalista acaba gastando menos dinheiro porque passa a prestar mais atenção nas suas escolhas, no que te dá mais prazer, e elimina tudo o que não é essencial.

Já li em comentários de blogs minimalistas, de pessoas que julgam os minimalistas que possuem um computador da Apple. Eu não vejo problema algum, pois entendo que ser minimalista não é viver na miséria e com produtos de má qualidade, como muitos interpretam. É comprar produtos que julgamos de qualidade superior, para que a vida útil do computador (ou da roupa, dos móveis, etc.) aumente e evite a necessidade de fazer trocas com freqüência.

~ Yuka ~